Virada Cultural 2009

Data : 03/05/2009
Horário : 6:00
Venue : Teatro Municipal São Paulo
Cidade :

Info / Tickets

Violeta de Outono toca seu 1o. LP na íntegra no Teatro Municipal de São Paulo, na Virada Cultural 2009!

Como anunciado recentemente, o Violeta de Outono tocará na Virada Cultural 2009 seu primeiro LP, homônimo, de 1987. A banda foi convidada para recriar o disco no Teatro Municipal de São Paulo, que será reinaugurado para esta Virada, ao lado de grandes nomes da música Brasileira como Arrigo Barnabé, Beto Guedes, Cama de Gato, Tom Zé, Egberto Gismonti, entre outros.

Confira a programação completa no site oficial da Virada Cultural:
http://viradacultural.org/programacao/

Sinopse:
O Violeta de Outono surgiu na metade dos anos 80, emergindo de um porão de Pinheiros, bairro de São Paulo, em meio a efervescência do rock nacional da década, onde a maioria das bandas buscava sua identidade na sonoridade dos conjuntos ingleses de new-wave, pós-punk e o então emergente dark-gótico. A proposta do Violeta era bastante incomum para o período, viajando do rock dos anos 60 ao experimentalismo do rock progressivo dos anos 70. Porém, a despeito da onda que assolava a capital paulista, bastou uma série de apresentações ao vivo para que o Violeta de Outono, antes ainda de gravar seu primeiro disco, virasse cult. Sua obra surpreende por suas inquietantes composições, oriundas da evolução musical do grupo – o Violeta , por exemplo, foi a primeira banda brasileira a fazer uso de efeitos eletrônicos e samplers em suas gravações e shows. Conhecida pelo seu som psicodélico, suas apresentações ao vivo são sempre marcantes devido à atmosfera lisérgica que exalam em cada acorde. Recentemente, o Violeta lançou o CD Volume 7, um álbum que mistura rock, jazz e sons espaciais. Na Virada Cultural, o Violeta de Outono executa na íntegra seu álbum homônimo, o primeiro da banda.

Violeta de Outono
Lançado originalmente em 1987 pela RCA através de seu então novo selo, Plug, o álbum de estréia do Violeta de Outono é um marco na história do rock brasileiro. Já na capa do LP, podemos ter uma amostra de toda a sua força psicodélica: um “jardim elétrico” serve de arte à capa do álbum que traz em sua composição “acidulada” um desvio botânico brotando num ambiente rarefeito, onde sombras impenetráveis se alternam com manchas deslumbrantes de luz. A experiência musical do Violeta de Outono está aí desvendada. Solos abissais, invariavelmente açoitados por uma trama rítmica visceral e explosões de efeitos especiais, envolvem os ouvintes em uma experiência hipnótica. Gravado em um estúdio abandonado da RCA paulistana, dotado de equipamentos vintage que só eram utilizados para gravações de orquestras, o disco ganhou uma forma absolutamente orgânica, com o som dos instrumentos do grupo sendo captado ao vivo, a partir de dois microfones estrategicamente posicionados. O resultado imortalizou temas que se tornariam clássicos no repertório do Violeta além de trazer uma magistral releitura de “Tomorrow Never Knows”, dos Beatles. Recentemente relançado em CD, Violeta de Outono traz mais quatro faixas bônus, registradas por ocasião das mesmas sessões de estúdio que resultaram na gravação original. Entre elas, outra releitura, desta vez dos Rolling Stones: “2000 Light Years From Home” ganhou uma releitura que lhe oferece uma nova, e ainda mais viajante, dimensão.